Comportamento no Trânsito

Eu sou um parágrafo. Clique duas vezes para me editar.

Eu sou um parágrafo. Clique duas vezes para me editar.

O cidadão e o trânsito

Cidadão é o individuo consciente do seu
papel na sociedade. Para que a vida em sociedade seja possível, como vimos,
foram criadas normas de conduta, que
definem nossos direitos e deveres enquanto cidadãos.

Essas normas são
determinadas pelas Leis e pelo Código. Na Sociedade Brasileira, a Lei
máxima é a Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em
1988.
Além dela, temos Códigos, com leis mais específicas, como o Código Civil
Brasileiro, o Código Penal de Trânsito, etc.

O cidadão tem o dever de obedecer às leis e códigos, em
benefício do bem comum. Esta é a melhor forma de respeitar o direito das
demais pessoas e ser respeitados. As mesmas leis e códigos definem que
estamos
sujeitos a punição toda vez que nosso comportamento for nocivo para a
coletividade ou para nós mesmos.

O trânsito é o mais importante ponto de junção dos diversos grupos,
segmentos
e indivíduos de uma sociedade.

É um sistema
extraordinariamente complexo, do qual todos dependemos diariamente:

  • Para nos deslocamos, como condutores, passageiro
    ou pedestre.
  • Para despachamos as mercadorias que produzimos.
  • Para despacharmos as mercadorias e produtos que
    consumimos.

Nosso comportamento
no trânsito é regido por um conjunto de leis, formado pelo código de
trânsito brasileiro por
decretos, resoluções complementares e portarias das autoridades de trânsito.

Educação para o
trânsito é um direto de todos.

A educação é fundamental visto que, infelizmente, é no trânsito que
algumas pessoas descarregam suas frustrações e problemas pessoais. No
transito,
presenciamos diariamente:

  • Desrespeito
  • Provocações
  • Demonstrações de superioridade
  • AgressividadeViolênciaSão atos praticados
    principalmente por condutores, aos
    quais cabe a maior parcela de
    responsabilidade na segurança do trânsito.

O bom cidadão, geralmente, é também um bom motorista, pois as qualidades
para ambos são as mesmas.

  • Respeita as normas de trânsito.
  • Respeita o direito das outras pessoas.
  • Preserva o meio ambiente.
  • Preserva o patrimônio público.
  • Ser amigável, avisa e ajudar .
  • Agir corretamente com todos os que estão no
    trânsito.
  • Ser cooperativo com todos os que estão no
    trânsito.
  • Cultiva a
    bondade, tolerância e solidariedade.
  • Entende que seus deveres são idênticos aos
    direitos alheios.
  • Ser compreensivo com os erros dos outros, pois
    também erra.
  • Abre mão de exigências próprias em favor do bem.
  • Evita confrontos e comportamentos agressivos
  • Compreende as limitações alheias

O primeiro passo, para ser um bom
motorista e ser um bom cidadão é fazer uma autocrítica honesta, é possível
adotar um padrão de comportamento civilizado e aceitar as deficiências das
outras pessoas.

RESPEITO MÚTUO NO TRÂNSITO

Aprática de boas atitudes
entre os usuários do trânsito tem o poder de promover o respeito mútuo e a
cidadania.
É essencial saber agir corretamente frente ás diversas situações do
dia-a-dia,
reconhecendo e alternando os maus hábitos e posturas negativas. Para 
tanto, alguns valores devem ser considerados:

  • Respeito:
    princípios básicos de qualquer relacionamento.
  • Flexibilidade:
    saber lidar com interesses distintos.
  • Bom senso:
    encontrar a melhor maneira de interpretar e resolver um problema ou
    situação.
  • Humildade:
    saber reconhecer os próprios erros.
  • Paciência:
    não tomar decisões precipitadas.
  • Equilíbrio:
    saber controlar o próprio temperamento.
  • Empatia: saber
    colocar-se no lugar do outro.
  • Receptividade:
    manter a mente aberta e demonstrar boa vontade.
  • Igualdade:
    tratar bem a todos, sem distinção.
  • Persistência:
    utilizar estes valores diariamente sem
    desistir.
  • Para evitar, ou pelo menos amenizar, as
    situações de conflitos no trânsito são importantes que o condutor utilize
    algumas estratégias:
  • Usar
    mensagens simples e diretas: sem dar conflito no trânsito interpretação.
  • Ver
    sempre o lado positivo das coisas: para compreender o motivo de algumas
    atitudes incorretas dos outros motoristas.
  • Agir
    sempre com bom senso: pensar muito bem antes de agir.
  • Saber
    distinguir os momentos oportunos: para agir com consciência e precisão.
  • Não
    participar de brigas ou discussões: se for inevitável, tentar acalmar os
    ânimos e voltar o quanto antes ao diálogo.
  • Usar o
    veiculo para finalidade correta: nada de utilizá-lo para intimidar,
    provocar ou demonstrar posição social.
  • Comunicação
    frente a frente: cuidar com a entonação de voz e as expressões, pois elas
    podem passar uma imagem diferente da que realmente se pretende.

Afinal, quem convive muitas horas no
trânsito precisa empenhar-se em proporcionar um ambiente de qualidade e
,mais do que exigir dos outros,deve
comprometer-se a fazer a sua parte,
isso depende de uma ação pessoal consciente e determinada. Para um
melhor convívio no trânsito precisamos fazer uma sincera auto-avaliação
das nossas atitudes
frente ás mais diversas situações e, em seguida, corrigir o que estiver 
incorreto. Apesar da tendência para culpar os outros, é provável que os 
verdadeiros motivos estejam em nós mesmos.

HABILIDADE

É muito mais fácil aprender a fazer certo desde a primeira vez, do que
corrigir um aprendizado incorreto. Daí a importância de um aprendizado
correto,
eficiente e responsável, onde aluno e professor cumpram detalhadamente
todas as etapas do curso.